PESQUISA ESTE SITE

Total de visualizações de página

PESSOAS ONLINE



18 maio 2023

Criminosos invadem assentamento e promovem arrastão em residência na zona rural de Mossoró

REPORTAGEM

Uma família passou por momentos de tensão e medo, por conta de bandidos, que invadiram uma casa e promoveram arrastão, no Projeto de Assentamento Frei Damião, localizado as margens da BR 110 sentido Upanema, na zona rural de Mossoró.

A ação criminosa aconteceu na noite dessa quarta-feira 17 de maio de 2023 e de acordo com a Polícia Militar, três criminosos  invadiram a casa e roubaram televisores, celulares e uma parafusadeira. Na fuga eles fugiram levando o carro da família.

A Polícia Militar foi acionada e durante as buscas na região conseguiu localizar o veículo que estava abandonado em um matagal. Os criminosos e demais pertences da família não foram encontrados.

O veículo, um Corsa Classic Preto, foi levado e apresentado  na Delegacia de Plantão da Polícia Civil, no Bairro Alto de São Manoel e em seguida devolvido ao proprietário.  A Delegacia Especializada na Propriedade de Veículo vai investigar o caso.


fim da linha 

Governo apresenta à Assembleia projeto de lei que atualiza programa de Parcerias Público-Privadas no RN

REPORTAGEM


O governo do Rio Grande do Norte apresentou nesta quarta-feira (17) à Comissão de Finanças e Fiscalização da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte um projeto de lei que institui um novo programa estadual de Parcerias Público-Privadas (PPPs).

Segundo o Executivo, a proposta é estabelecer novas regras para ampliar e fortalecer esse tipo de contratação e atrair investimentos privados em projetos de interesse público.

Na reunião, o secretário da Administração, Pedro Lopes, e o assessor Especial de Governo, Altair Rocha, explicaram as principais diferenças entre o novo projeto de lei e a Lei Complementar nº 307, de 11 de outubro de 2005, que trata do assunto.

 

O governo do Rio Grande do Norte apresentou nesta quarta-feira (17) à Comissão de Finanças e Fiscalização da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte um projeto de lei que institui um novo programa estadual de Parcerias Público-Privadas (PPPs).

Segundo o Executivo, a proposta é estabelecer novas regras para ampliar e fortalecer esse tipo de contratação e atrair investimentos privados em projetos de interesse público.

Na reunião, o secretário da Administração, Pedro Lopes, e o assessor Especial de Governo, Altair Rocha, explicaram as principais diferenças entre o novo projeto de lei e a Lei Complementar nº 307, de 11 de outubro de 2005, que trata do assunto.

O governo do Rio Grande do Norte apresentou nesta quarta-feira (17) à Comissão de Finanças e Fiscalização da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte um projeto de lei que institui um novo programa estadual de Parcerias Público-Privadas (PPPs).

Segundo o Executivo, a proposta é estabelecer novas regras para ampliar e fortalecer esse tipo de contratação e atrair investimentos privados em projetos de interesse público.

Na reunião, o secretário da Administração, Pedro Lopes, e o assessor Especial de Governo, Altair Rocha, explicaram as principais diferenças entre o novo projeto de lei e a Lei Complementar nº 307, de 11 de outubro de 2005, que trata do assunto.



G1-RN




RN tem a quarta maior taxa de desemprego do Brasil no 1º trimestre de 2023, aponta IBGE

REPORTAGEM

O Rio Grande do Norte teve a quarta maior taxa de desocupação do país no primeiro trimestre de 2023. É o que aponta a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), que foi divulgada nesta quinta-feira (18) pelo IBGE.

A taxa de desocupados foi de 12,1% entre os meses de janeiro e março no RN, segundo a pesquisa. No último trimestre de 2022, havia sido 9,9%. Ao todo, 15 estados e o Distrito Federal apresentaram crescimento na taxa neste período.

O RN só ficou atrás de Bahia (14,4%), Pernambuco (14,1%) e Amapá (12,2%), que tiveram as maiores taxas de desocupação do país nos primeiros três meses de 2023.

A taxa de desocupação, segundo o IBGE, é a porcentagem de pessoas na força de trabalho que estão desempregadas. Participam da força de trabalho as pessoas que têm idade para trabalhar (14 anos ou mais) e que estão trabalhando ou procurando trabalho (ocupadas e desocupadas).

Por conta própria

A pesquisa aponta também que o RN teve 27,1% da população ocupada trabalhando por conta própria neste primeiro trimestre do ano - essa é a 12ª maior taxa no ranking entre os estados.

Os líderes nesse quesito são Rondônia (37,3%), Amazonas (32,5%) e Amapá (32,3%).  

Carteira assinada

A Pnad Contínua revelou ainda que 64,2% dos empregados do setor privado trabalhavam com carteira assinada no Rio Grande do Norte no primeiro trimestre deste ano. A taxa é menor do que a média no Brasil, que é de 74,1%.

O estado fica 16º lugar no ranking com todas as federações do país. Os líderes são Santa Catarina (88,2%), Rio Grande do Sul (82,2%) e São Paulo (81,1%).

Informalidade

Já a taxa de informalidade da população ocupada foi de 45,9% no Rio Grande do Norte entre janeiro e março, de acordo com a PNAD. Essa taxa é maior do que a média no país, que é de 39%.

Essa é a 13ª maior taxa entre as federações do país. Os líderes da população ocupada na informalidade são Pará (59,6%), Amazonas (57,2%) e Maranhão (56,5%).


g1-RN


Haddad fala de covid e PIB, comete equívocos e usa dados fora do contexto

REPORTAGEM

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, cometeu nesta 4ª feira (17.mai.2023) algumas imprecisões ao criticar o governo de Jair Bolsonaro (PL). Em sua fala, disse que o ex-chefe do Executivo foi “responsável por 11% das mortes por covid” no mundo, tendo 2,7% da população mundial.

Afirmou, ainda, que o país foi “pior na economia” sob Bolsonaro. “Eu acredito que um país que tem 2,7% da população mundial e tem um presidente responsável por 11% das mortes por covid, não devia estar nem falando de limitação com ninguém, porque não tem moral para isso”, declarou durante audiência na Câmara.

“De Economia é pior. Pior crescimento, pior tudo. Pelo amor de Deus, gente. Olha os resultados da educação. Eu sou professor há quase 30 anos da Universidade de São Paulo com muito orgulho. Tenho 3 diplomas por essa universidade: direito, economia e filosofia. Tenho muito orgulho do meu currículo e, sinceramente, os correligionários do ex-presidente deveriam se limitar ao debate que está aqui e não falar de limitação por quem quer que seja“, acrescentou.

Covid

O problema da comparação com a população mundial é que muitos países não têm estatísticas confiáveis de mortalidade de covid. Isso significa que, na verdade, há muito mais do que os 7 milhões de mortes reportadas no mundo. Uma estimativa da OMS até o final de 2021 dizia que 14,9 milhões teriam morrido. Esse número, é claro, aumentou em 2022 e 2023.

Nesse caso, o percentual de mortes do Brasil naquele momento teria sido de 4%, e não de 10%. Mas é impossível ter certeza sobre quantas foram as mortes no mundo. É por isso que especialistas evitam fazer comparações como as de Haddad.

Se levadas ao pé da letra as estatísticas dos países que não reportam direito os dados de covid, toda a África, com 1,2 bilhão de habitantes, com 259 mil mortes, representaria um terço das mortes brasileiras. Há também falta de confiança nos dados de Índia e China. Ambos os países têm população estimada em 1,462 bilhão de habitantes. A China tem apenas 121 mil mortes registradas. A Índia, 532 mil.

Isso não significa que os países tiveram uma política bem sucedida de combate ao vírus. Mas significa que tiveram políticas de coleta e comunicação de dados deficientes. Com isso, o número de mortes no mundo inteiro é subdimensionado e a participação de países que reportam melhor os dados, como o Brasil, acaba parecendo maior.

Crescimento do Brasil

Já o crescimento do Brasil em 2020, 2021 e 2022 (com 2 anos de pandemia e 1 de guerra na Europa) acumulado foi de 4,48%, maior do que países como Alemanha (0,58%), França (1,03%) e México (-0,6%).

O Brasil conseguiu recuperar o PIB pré-pandemia. Em 2021, ainda durante a crise sanitária, fechou o nível de atividade econômica 0,6% acima de 2019.

 

Assim, integra a lista de 27 países que recuperaram o patamar do PIB anterior à pandemia. Ficou em 26º no ranking de melhor resultado, acima do Canadá, por exemplo.


Quando se leva em consideração o G20, o Brasil e outros 10 países do grupo das 20 maiores economias do mundo recuperaram o nível de atividade econômica.


Poder 360

Luiz Eduardo questiona governo sobre falta de repasse dos consignados

REPORTAGEM

A falta de repasse às instituições financeiras, por parte do governo estadual, dos valores descontados no contracheque dos servidores e relativos aos empréstimos consignados, foi o destaque no pronunciamento do deputado Luiz Eduardo (SDD). O parlamentar tratou do tema durante a sessão plenária da Assembleia Legislativa nesta quarta-feira (17).

“Já são sete meses sem repasses do valor que está sendo descontado no contracheque dos servidores estaduais todos os meses. O banco não vai querer perder os juros, além disso os empréstimos consignados estão suspensos e podem prejudicar aqueles servidores que precisem de um socorro financeiro”, lamentou Luiz Eduardo.

O deputado informou que foi aprovado requerimento na Comissão de Administração da ALRN solicitando informações sobre o problema ao secretário de Administração, Pedro Lopes, mas que as respostas foram evasivas e não esclareceram por completo, além de terem chegado um dia após o prazo.

“Já tínhamos aprovado requerimento que, caso as respostas não fossem entregues no prazo, haveria convocação do secretário, que já foi feita, e vamos aguardar as explicações. Cobrar esse repasse é exercer o papel de deputado de cobrar que uma obrigação seja cumprida”, finalizou.

Blog do BG