PESQUISA ESTE SITE

Total de visualizações de página


PESSOAS ONLINE



26 maio 2024

APÓS FURTAR RESIDÊNCIA, HOMEMS SÃO PRESOS PELA PM NO INTERIOR DO RN

REDAÇÃO ITAJÁ TV

Dois homens foram presos em flagrante após arrombar e furtar uma casa em Pau dos Ferros, no interior do Rio Grande do Norte, na noite desse sábado (25). De acordo com o 7 º Batalhão da Polícia Militar, responsável pela ação, o crime ocorreu na rua 25 de março.

As informações policiais apontam que a PM foi acionada após populares informarem à Rádio Patrulha que uma casa havia sido arrombada há poucos instantes por dois homens.

Durante patrulhamento, os policiais militares encontraram a dupla e prosseguiram com a abordagem. Junto aos indivíduos, foram identificados os pertences da vítima levados da residência.

Os dois homens receberam voz de prisão e foram encaminhados à Delegacia de Polícia Civil, onde seguem à disposição da justiça.

INVESTIMENTOS DE R$ 128 MILHÕES PROMETE RESTAURAR 242,9 DE ESTRADAS NO RN

REDAÇÃO ITAJÁ TV

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, assinou, nesta sexta-feira (24), na sede da Prefeitura de Goianinha, a ordem de serviço para restauração de 242,9 km de estradas, o que representa um investimento de R$ 128 milhões em obras rodoviárias. As obras vão recuperar a RN-003, estrada de Pipa/RN; RN 221, que conecta a BR 101 a São Miguel do Gostoso; RN-120; RN-063; RN-317; RN-051, entre a BR-406 e o município Poço Branco; RN-403, em Macau; RN-063, que percorre 19 km no município de Nísia Floresta até alcançar a praia de Barra de Tabatinga; RN-312, Macaíba – Igreja Nova; e a rodovia de acesso entre a BR 101 e a região de Maracajaú.

Gustavo Coelho, secretário estadual da Infraestrutura, esclareceu que o governo já assinou o lote 1, e as obras já começaram. O lote 2 também foi assinado, e hoje foi assinado o lote 3, em Goianinha. Segundo o secretário, este lote corresponde à faixa do litoral e agreste do estado do Rio Grande do Norte, cobrindo três distritos rodoviários: o Distrito 3, com sede em João Câmara; o Distrito 4, com sede em Nova Cruz; e o Distrito 5, com sede em Natal.

Segundo a governadora Fátima Bezerra, a recuperação das rodovias reforça a infraestrutura viária e impulsiona o desenvolvimento econômico estadual, ao melhorar a experiência dos turistas no acesso aos principais destinos turísticos potiguares. “Nesse lote 3 são 243 km que, somados ao lote 1 e ao 2, só nessa primeira etapa, nós vamos recuperar quase 800 km, fazendo o investimento da ordem de R$ 428 milhões. Não é pouca coisa, se você considerar que há 20, 30, 40 anos não se fazia um investimento desse porte”, declara a governadora.

Conforme o Departamento de Estradas de Rodagem (DER-RN), uma das obras contempladas é a recuperação da RN-003, a estrada da Pipa. O trecho é essencial para o acesso à praia de Pipa, um dos destinos turísticos mais famosos do estado.

A prefeita de Goianinha, Nira Galvão, afirmou que a obra vai beneficiar as duas cidades, Goianinha e Tibau do Sul, para toda a rota turística.

Outro destaque é a restauração da RN 221, que conecta a BR 101 a São Miguel do Gostoso. Com 15,9 km de extensão, a restauração vai permitir melhor acesso à região de São Miguel do Gostoso.

No IV Distrito Rodoviário, que abrange a região de Nova Cruz, as obras incluem, além da RN-003, as rodovias RN-023 e a RN-092, RN-093 e RN-269, sendo esta última a ligação entre as cidades de Passa e Fica e Serra de São Bento.

Além disso, as melhorias também beneficiam o tráfego entre os municípios da Baixa Verde potiguar, com a restauração da RN-051 (entre a BR-406 e o município Poço Branco) e a RN-403, em Macau, que vai melhorar o trecho entre as comunidades barreiros e Diego Lopes, que também é um importante corredor turístico do Litoral Norte potiguar.

No V Distrito Rodoviário, que contempla a Região Metropolitana, o projeto de restauração abrange importantes rodovias que facilitam o acesso às praias do litoral Sul, como a RN-063, que percorre 19 quilômetros no município de Nísia Floresta até alcançar a praia de Barra de Tabatinga.

As obras também incluem a RN-312 (Macaíba – Igreja Nova), com 12 km. Além disso, a rodovia de acesso entre a BR 101 e a região de Maracajaú, com 8 km, vai receber melhoria asfáltica.

Presente na solenidade em Goianinha, Antônio Neto, presidente da ABAV/RN, destacou a importância da obra para o turismo do estado. “Ficamos quase 30 anos esperando a obra dessa magnitude. Agradeço o esforço do governo estado, da governabilidade, em entender a importância desses caminhos do turismo, e estamos falando de conectar mar, serra, sertão, isso é a interiorização do turismo”, diz.

“É uma obra muito importante, não só para o turismo, mas para toda a população. O turismo é essa máquina que abrange todos os negócios, então quero agradecer à governadora, à Natécia e à Gustavo – a todos que colaboraram para que pudéssemos ter essas novas vias”, afirma Deca Bolonha, representante do Sindetur (Sindicato das Empresas de Turismo do RN).

Atualmente, o Rio Grande do Norte conta com três lotes de projetos de restauração viária em curso. No último dia 9 de maio, houve a assinatura da segunda ordem de serviço para recuperação de estradas. Nesta etapa, os serviços abrangem mais de 300 km de rodovias.

Financiado por recursos da primeira parcela do empréstimo no âmbito do Plano de Promoção do Equilíbrio Fiscal (PEF), no valor de R$ 428 milhões, o programa de restauração de rodovias contempla quase 800 km de estradas nos sete distritos rodoviários do Estado.

A primeira ordem de serviço foi para o Lote 1, totalizando 210 km, nos distritos de Mossoró e Pau dos Ferros, foi assinada em 3 de maio. O terceiro lote tem 242,9 km.


TRIBUNA DO NORTE 

PREFEITOS ENTRAM NA LUTA PARA LIBERAÇÃO DE EMENDAS

REDAÇÃO ITAJÁ TV

Prefeitos pedem à Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (Femurn) a intermediação de uma reunião com as bancadas da situação e da oposição na Assembleia Legislativa, com a finalidade de achar uma saída para o caso do atraso na liberação de R$ 113 milhões em emendas dos deputados estaduais para os 167 municípios do Estado. O presidente da instituição e prefeito de Lagoa Nova, Luciano Silva Santos, confirmou que no decorrer da semana deve ser agendada uma data par esse encontro, que foi decidido por ocasião da reunião de quinta-feira (23), com a bancada federal por ocasião das 25ª Marcha dos Municípios, em Brasília.


Luciano Santos disse que a Femurn vai convidar, inclusive, o secretário estadual da Fazenda, Carlos Eduardo Xavier (Fazenda), para dar explicações sobre as dificuldades do governo em não acelerar os repasses dos recursos, vez que a legislação eleitoral veda repasses de recursos estaduais e federais depois de 6 de julho – exceto transferências como Fundo de Participação, rouyalties do petróleo e gás natural e ICMS.


Santos afirmou que em relação as emendas impositivas da bancada federal, “não está havendo problema, pois começaram a ser liberadas”, o que foi confirmado pelo prefeito de São Tomé, Anteomar Pereira da Silva: “O governo federal se comprometeu a pagar as emendas até segunda-feira (27) e pedimos uma mesma reunião para discutir com a bancada estadual as emendas que não estão sendo pagas pelo governo do Estado”.

Números
O vice-presidente da Assembleia, deputado Tomba Farias (PSDB), intermédia as negociações com o governo do Estado sobre a forma de pagamento das emendas e espera uma resposta do Executivo já nesta segunda. “Eu fiz um pleito ao governo, pedi para que o governo repensasse e ampliasse de R$ 750 mil para ao menos R$ 1 milhão, esse ano é um ano político em que os prefeitos precisam como nunca, até porque as emendas não são nossas, são dos município, Outra coisa, dos R$ 113 milhões que foram colocados nessas emendas ao Orçamento Estadual, são R$ 57 milhões para saúde, fazer exame, que o governo não está fazendo, porque está com muita dificuldade, fazer cirurgias, pagar o custo de hospitais”, alertou.


Tomba Farias arguiu que “tentam culpar muito a redução da alíquota do ICMS pelas dificuldades financeiras do Estado, não é motivo, ano passado era 20% de alíquota e não foram pagas todas as emendas”. Em entrevista ao “Jornal da Manhã Natal”, da rádio Jovem Pan News Natal, o deputado Tomba Farias admitiu que não se cogita por enquanto, algum tipo de medida judicial para obrigar o governo a cumprir as obrigações constitucionais de repassar as emendas impositivas, como já ocorreu em relação a alguns deputados em exercícios anteriores:

“A gente irá até o limite de negociação, de conversa, para que depois a gente não seja mal interpretado”.
Depois da judicialização, segundo Farias, o governo “pagou muita coisa, falta algumas”, mas persiste a preocupação de que as dividas das emendas se avolumem em 2024. “Quanto mais acumular, o que vai acontecer, juntando vai virar uma bola que pode explodir”, avisou.


Tomba Farias estima que o Executivo tenha pago pouco mais de R$ 1 milhão em emendas, o que a TRIBUNA DO NORTE confirmou ao acessar, na internet, o Portal da Transparência do Governo do Estado, o qual mostra que até abril ocorreu o pagamento de R$ 550 mil em emendas parlamentares, o que corresponde a 0,5% do volume de R$ 113 milhões previstos no Orçamento Geral do Estado (OGE) no exercício financeiro de 2024.


Segundo o Portal da Transparência, no momento estão pré-empenhados R$ 3,235 milhões, e efetivamente empenhado R$ 1,785 milhão, enquanto foram, liquidados R$ 1,68 milhão. Restam a ser liquidados R$ 105 mil e a pagar R$ 1,13 milhão.


Farias explicou, inclusive, que os dados demoram um pouco para atualização: “Depois que a emenda é paga leva de 30 a 40 dias para entrar no sistema”.


Quanto ao fato da pauta de votação estar trancada na Assembleia, até que sejam votados os vetos governamentais a leis já aprovadas na Casa, Tomba Farias não avalia como uma mera estratégia de pressão ao governo, porque existem situações que interessam aos dois lados. “Isso é uma coisa que o pessoal aproveitou o momento e fez”, diz ele, até porque os deputados da situação “são os que mais procuram a gente, para ajudar a pagar nossas emendas”.

Em Mossoró, Allyson tem a mesma pressão

O atraso no repasse de emendas impositivas também está em discussão na Câmara Municipal de Mossoró, onde o prefeito Allyson Bezerra (União Brasil) deixou pagar cerca de R$ 439 milhões em três anos, reclama o presidente da Casa, vereador Lawrence Amorim (PSDB).


Para Amorim, o chefe do Executivo não trata com a mesma reciprocidade de tratamento o Legislativo, que nunca deixou de aprovar projetos de interesse do município, como a reforma previdenciária e empréstimos de mais de R$ 200 milhões.


“O que é que a Câmara tem de volta? Não foi pago durante três anos uma emenda impositiva de nenhum vereador. Isso dá por ano 1,2% do orçamento do município, em torno de R$ 10 milhões de reais, contando que depois passou a 2%”, argumentou.


“Pagar as emendas impositivas valoriza os vereadores, é um direito. Não quer receber a emenda impositiva do deputado federal, do deputado estadual? Por que o vereador não tem direito, não pode contribuir com a comunidade, só uma pessoa pode reinar?, indagou Amorim, que cobrou uma posição do Executivo.

MÉDIA DE ANALFABETOS NO RN É QUASE O DOBRO DA MÉDIA NACIONAL

REDAÇÃO ITAJÁ TV

Dados do Censo Demográfico de 2022, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam para um número alarmante no Rio Grande do Norte: a taxa de analfabetismo no Estado corresponde a quase o dobro da média nacional.


Segundo o Censo, o Rio Grande do Norte possui 13,9% de pessoas acima de 15 anos analfabetas. Os dados do IBGE se referem às pessoas com 15 anos de idade ou mais que não sabem ler e escrever uma carta simples. A média nacional é de 7%.

No Estado, essa porcentagem representa pouco mais de 366 mil pessoas, de um total de 2,6 milhões de pessoas acima da faixa etária mencionada. Destas, na faixa etária de 65 anos ou mais, o número de analfabetos é bem maior, 37,2%, totalizando 129.285 mil pessoas.

A região Nordeste também tem números muito baixos de alfabetização no geral. A média de analfabetismo do estado, no entanto, ficou abaixo da média do Nordeste, que foi 14,2%. A região foi a que teve o índice de analfabetismo mais alto do país.

Natal também se destaca no Censo como a quarta cidade do Brasil, e do Nordeste, dentre municípios com mais de 500 mil habitantes, com mais pessoas analfabetas acima de 15 anos, estando atrás apenas de Maceió (AL), Jaboatão dos Guararapes (PE) e Teresina (PI). Na capital potiguar, 40.862 mil pessoas acima de 15 anos não estão alfabetizadas, o que corresponde a uma taxa de 6,6% do total.

Mas o que explicaria números tão baixos relacionados à alfabetização no Rio Grande do Norte? De acordo com a professora Sandra Gomes, do Instituto de Políticas Públicas da UFRN, a resposta parece relativamente simples, mas envolve questões mais complexas. O histórico do descaso com a educação ao longo dos anos reflete até os dias atuais nas pessoas mais velhas. Na faixa etária de 45 a 54 anos, o analfabetismo atinge 17,3% e, em pessoas de 55 a 64 anos, o número é de 24,1%. Para a professora, a negligência histórica com a educação afetou todo o país, mas só nos últimos anos, após a redemocratização, a questão da universalização da educação básica ganhou a importância devida. “O nosso atraso educacional é reconhecido como muito grande, e não estou falando nem em comparação com países desenvolvidos, mas com nossos vizinhos aqui, Chile, Argentina, Uruguai”, diz Sandra Gomes.

A faixa etária que mais chama atenção é a de pessoas com 65 anos ou mais. No Estado, cerca de 37,2% dessa população é analfabeta, de acordo com a pesquisa do IBGE. Em municípios como Lagoa de Pedra esse número chega a impressionantes 70%, pelo dados do Censo de 2022. Em Natal, 17% dos idosos acima de 65 anos são analfabetos.

“O problema do analfabetismo vai aumentando com a idade. Isso fica bem claro se olharmos as faixas etárias, é sobre o histórico de exclusão da educação. Quem tem hoje mais de 55 anos viveu nessa época que não tinha universalizado ainda o acesso à educação básica, muita gente não conseguia entrar na escola. Então, essas pessoas foram punidas, não tiveram oportunidades educacionais”, comenta a professora.

Diminuição depende de políticas

Para a professora Sandra Gomes, existe uma maneira de solucionar o analfabetismo: investir em políticas públicas de educação para essa população acima de 15 anos.


“O acesso à educação é resultado de políticas públicas, de expansão de vagas da rede pública. Porque devido aos altos índices de desigualdade no Brasil, os mais vulneráveis, a vasta maioria da população precisa da escola pública. Em torno de 80% dos estudantes estão e dependem da escola pública”, afirma Sandra.

A professora ainda sugere ainda algumas estratégias para contemplar a população mais velha. Uma delas é aumentar o acesso à Educação de Jovens e Adultos, o EJA. “No Rio Grande do Norte a educação de jovens e adultos ainda está muito concentrada nas grandes cidades, ela não chega em todos os lugares”, comenta Sandra.

No outro extremo, de acordo com o Censo do IBGE, a menor taxa de analfabetismo está nos grandes centros urbanos, como Natal e Parnamirim. “Nas grandes cidades o problema de acesso à educação sempre foi menor do que no interior, no rural”, completa a professora.

Sandra acredita que deve haver uma atenção especial nas políticas públicas para a população mais velha, porque as demandas de jovens e adultos são diferentes na educação. “Não dá pra imaginar alterar esse quadro, abrir oportunidades, se não houver uma estratégia de política pública específica para atingir esses públicos muito diferentes”, analisa.

O analfabetismo de pessoas entre 15 e 19 anos é considerado baixo no RN, 2,7%, mas na opinião da professora não deveria existir. “Tem que haver uma estratégia, de preferência não só do município, mas em coordenação com a Secretária Estadual de Educação do Estado para identificar quem são esses jovens que não sabem ler e escrever um bilhete simples. Existem municípios que tem feito já, há alguns anos, atividades de políticas educacionais relevantes que podem explicar a baixa taxa de analfabetismo entre jovens”, afirma. Para exemplificar, a professora cita São José do Seridó, Ipueira e Viçosa, que têm menos de 1% de taxa de analfabetismo entre jovens dessa idade. “Tem de ter um olhar particularizado para se montar estratégias específicas para cada município, porque só ter uma política pública geral não vai transformar essa realidade”, conclui Sandra.

Para a professora, o EJA é um excelente instrumento no auxílio ao combate do analfabetismo, porém ele precisa ser utilizado de forma eficaz. “Por um lado existe uma política de EJA nacional, estadual e deveria ter em todos os municípios. Para resolver aqueles que não tiveram oportunidade de entrar ou finalizar os estudos na idade esperada. Porém isso tem de ser planejado de forma a chegar a quem precisa, porque a situação não é igual em todos os lugares”, afirma.

Ela também cita uma outra estratégia da Unicef, da qual o Estado também faz parte, que pode auxiliar na redução da taxa de analfabetismo, a chamada Busca Ativa Escolar. Esse programa consiste em apoiar os governos na identificação, registro, controle e acompanhamento de crianças e adolescentes que estão fora da escola ou em risco de evasão. “Essa estratégia é muito importante porque tem de ir buscar onde estão esses jovens analfabetos. Tem que ter uma equipe, uma estratégia, entender as razões”, conclui Sandra Gomes.

SEEC
Os números do Censo 2022 mostram que a taxa de alfabetização entre pessoas com mais de 15 anos no RN, de 86,14%, é a maior dos últimos 30 anos. Na avaliação da Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer, SEEC, a análise desses números revela um cenário complexo e diversificado. O estado demonstra um progresso porém, uma análise mais detalhada dos dados por grupos raciais, sexos e faixas etárias revela disparidades históricas. A SEEC também destaca a necessidade de programas de alfabetização voltados para adultos e idosos.

O governo afirma que as políticas públicas focadas na inclusão educacional para populações indígenas e idosos são essenciais para alcançar uma alfabetização universal. A identificação dessas disparidades permite a implementação de estratégias mais eficazes para garantir o acesso à educação de qualidade para todos. Uma das ações da SEEC neste campo é a Política de Superação do Analfabetismo que, em sua primeira edição no ano de 2022, alfabetizou mais de 10 mil potiguares em 113 municípios.


NA CONTRAMÃO DO BRASIL, BALANÇA COMERCIAL DO RN CAI 68,9% EM 2023

REDAÇÃO ITAJÁ TV

Em 2023, o saldo da balança comercial do Rio Grande do Norte, ou seja, a diferença entre exportações e importações, caiu 68,9% em relação ao ano anterior. De US$ 301.320.067 em 2022, passou a US$ 93.511.130 no ano passado. O desempenho vai na contramão dos resultados no País. Em 2023, o saldo da balança comercial nacional foi o maior de toda a série histórica, totalizando US$ 98,8 bilhões, com aumento de 60% em relação ao ano anterior.


O resultado do RN, no entanto, não é negativo para a economia potiguar, visto que a razão está nos investimentos que o Estado tem recebido na área de energias renováveis, especialmente na produção fotovoltaica. Além disso, as exportações também cresceram, mesmo em menor proporção.

De acordo com o Boletim da Balança Comercial do RN, elaborado pela Unidade de Gestão Estratégica do Sebrae/RN, o Estado não adquiria tantos produtos no mercado internacional desde 2018. As importações atingiram US$ 687,8 milhões em compras, num aumento de 58% em relação a 2022 (US$ 435,4). Mesmo com venda de mercadorias para outros países superando essa marca e somando US$ 781,4 milhões negociados, o saldo ficou menor que nos anos anteriores. Em 2022, o estado exportou US$ 736,7. “Essa diminuição no saldo comercial pode ser atribuída principalmente ao aumento nas importações de produtos acabados, especialmente relacionados à tecnologia fotovoltaica”, conta a Gerente da Unidade de Gestão Estratégica do Sebrae/RN, Alinne Dantas.

O levantamento é feito com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços. “Em 2022, as importações neste setor totalizaram US$ 103.031.456, enquanto em 2023 subiram para US$ 226.787.866, um aumento de 54,56%”, explica Alinne.

Os produtos comprados de fora do país diferem dos anos anteriores, quando o trigo e suas misturas com centeio dominavam a lista. Agora as aquisições de células e painéis fotovoltaicos, utilizados pela indústria de energia solar são os itens mais comercializados. Em seguida, aparecem as gasolinas, sem contabilizar o querosene de aviação (QAv), cujas importações somaram US$ 92,6 milhões. O gasóleo (óleo diesel) foi responsável por um total de US$ 61,292,6 milhões e somente depois aparece nesse ranking o trigo, com um volume negociado de mais de US$ 56,1 milhões, seguido dos componentes de aerogeradores (US$ 41,56 milhões).

O economista Ricardo Valério destaca que o saldo menor da balança comercial não é sinônimo de que a economia está regredindo, uma vez que as exportações também têm crescido. “Significa dizer que a nossa economia está bastante ativa e latente. O crescimento das importações ocorre de componentes eletrônicos, voltados para indústrias eólicas e solares, que são todos importados. Sinal de que são novos investimentos no setor eólico”, assegura. “Numa analogia da economia global, é positivo também o crescimento das exportações, ainda que a balança comercial sofra um pouco essa redução, o que é natural. O ruim era que tivesse crescendo as importações e as nossas exportações estivessem caindo, mas isso não vem ocorrendo”, explica o economista.

Em nível nacional, ele avalia que o cenário também é positivo pelo crescimento de commodities vendidos para fora, mas difere porque as importações não crescem como no RN. “Não tem nenhum fenômeno localizado como tem aqui no Rio Grande do Norte em relação aos investimentos em indústrias eólicas e solar. Com isso, as importações em relação a balança nacional não têm crescido como as exportações”, pontua Valério.

Setor de energia impulsiona importações

O fenômeno responsável pela redução do saldo da balança comercial do RN deve se manter em 2024. É o que prevê o presidente da Associação Potiguar de Energias Renováveis (APER), Cassio Maia. Segundo ele, o aquecimento do setor fotovoltaico se dá, tanto na geração distribuída, quanto na centralizada, que tem uma característica de importação direta maior. “Para se ter uma ideia, o Rio Grande do Norte tem mais de 1.000 MW instalados, outros 700 MW em construção e mais 9.000 MW em projetos protocolados, outorgados, que estão em desenvolvimento na etapa de projeto de engenharia para iniciar as obras. Provavelmente, esses materiais ainda serão adquiridos. Então, a tendência é que tenha um impacto ainda enorme sobre os próximos anos”, declara.


Por enquanto, não há expectativas de que esse quadro mude porque o Brasil ainda não avançou na produção desses insumos. Alguns equipamentos complementares aos projetos do setor já são produzidos no país, segundo Maia, como cabos, transformadores, disjuntores. Contudo, os painéis inversores, que são itens mais significativos, a indústria nacional tem uma pequena participação.


“O custo de produção no Brasil ainda torna essa iniciativa pouco competitiva, de modo que os grandes projetos trabalham com produtos importados, até que se tenha algum incentivo mais significativo para que comecem a ser produzidos no país. A tendência é que continue sendo de fato através da importação”, avalia Cássio Maia.

ESTATÍSTICAS DO COMÉRCIO EXTERNO
Rio Grande do Norte

2023
Exportações: US$ 781.371.004
Importações: US$ 687.859.874
Saldo: US$ 93.511.130

2022
Exportações: US$ 736.761.767
Importações: US$ 435.441.700
Saldo: US$ 301.320.067

MULHER É ASSASSINADA A TIROS NO VINGT ROSADO CUNHADO É SUSPEITO DO CRIME

REDAÇÃO ITAJÁ TV


Mossoró na região Oeste Potiguar registra o segundo assassinato deste deste sábado 25 de maio de 2024. Desta vez o crime de feminicidio aconteceu por volta das 18horas na rua Antônio Galdino Filho, segunda etapas do Conjunto Vingt Rosado.

A vítima foi identificada como Rossileny Silvino Ribeiro Dantas de 37 anos. Ela foi morta a tiros dentro de casa e segundo a PM o cunhado dela é principal suspeito do crime.

O mesmo após atirar na sua cunhada, fugiu em um carro branco. A Polícia Militar realiza buscas na região com intuito de localiza e prende o assassino.

A PM informou que estava havendo uma bebedeira, entre familiares e que uma discussão foi gerada a partir de duas crianças que estavam brincando no local.

Durante  o desentendimento, o suspeito teria sacado uma arma de fogo e disparou contra sua cunhada, que teve morte instantânea.


FIM DA LINHA 



ATROPELAMENTO DEIXA UM CICLISTA MORTO E OUTRO FERIDO NA BR 110 EM MOSSORÓ

REDAÇÃO ITAJÁ TV

Um acidente de trânsito com uma vítima fatal, foi registrado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na manhã deste domingo 26 de maio de 2024, na BR 110 sentido Areia Branca, na altura da Comunidade de Sussuarana, zona rural de Mossoró.

Dois irmãos pedalavam no acostamento da rodovia, foram atropelados por um carro até o momento não identificado, tendo em vista que o motorista atropelador, fugiu do local sem prestar socorro às vítimas.

No acidente um dos ciclistas, identificado como, Antônio Nerivaldo da Costa de 65 anos, morreu na hora. O outro, sem identificação, recebeu atendimento do Samu no local e precisou ser encaminhado ao Hospital Tarcísio Maia Não há informação sobre o estado de saúde dele.

O corpo do ciclista Antônio Nerivaldo foi recolhido após a realização da perícia do ITEP e encaminhado para exames de necrópsia no IML do órgão  pericial. O caso será investigado pela 38ª Delegacia Distrital.

FIM DA LINHA