PESQUISA ESTE SITE

Total de visualizações de página

PESSOAS ONLINE



02 fevereiro 2024

MORRE O LUTADOR POTIGUAR PAULO HENRIQUE RODRIGUES 'PAULO TRATOR'

REDAÇÃO ITAJÁ TV

Faleceu na tarde desta sexta-feira(02/02),por volta das 12:00 o lutador de MMA Paulo Henrique Rodrigues ‘PAULO TRATOR’.

 

Paulo Henrique, estava a cerca de 4 meses no hospital tarcisio maia aonde estava em tratamento contra uma bactéria no sangue, de fungo da fese de pombo, com esse tratamento por medicamentos conseguiu eliminar a bactéria.

 

Mais ao ser eliminada a bactéria, paulo henrique contraiu outra bactéria no cérebro, os médicos fizeram vários exames, e foi constatado, que o cérebro não estava recebendo oxigênio pelas veias sanguínea, vindo a causar a paralisia no cérebro.

 

O mesmo teve que ser entubado a respirar com ajuda de aparelhos, a cada dia o caso se agravava, e na tarde desta sexta-feira, o médico apresentou aos seus famíliares, os exames aonde confirmou a sua morte cérebrau.  

 

Paulo Trator, era conhecido em todo  rio grande do norte, e no nordeste por participar de grandes competições, estaduais e nacionais.

 

Paulo realizou o seu maior sonho de construir a sua academia, trazendo para a cidade grandes novidades, responsável por várias ações sociais, com foco de tirá os jovens e adolescentes do mundo das drogas, deixando seu legado que nunca podemos desistir e sempre lutar pelos seus objetivos, que era ver todos aqueles adolescentes e jovens sendo como ele foi, um grande lutador, de batalhas e conquistas.

 

Hoje partiu deixando, Esposa, filho, mãe, irmãos.

 

Ainda não há nada confirmado os horários de velório sepultamentos.


DECRETO PREVÊ MULTAS E CASSAÇÃO DE LICENÇA ESTADUAL EM CASOS DE DISCRIMINAÇÃO POR ORIENTAÇÃO SEXUAL NO RN

REDAÇÃO ITAJÁ TV

O Governo do Rio Grande do Norte publicou nesta sexta-feira (2), o Decreto Nº 33.337 que regulamenta a Lei Estadual nº 9.036/2007, voltada ao estabelecimento penalidades contra a prática de discriminação por orientação sexual. Segundo a norma, os responsáveis por esses atos poderão receber advertência, multas de até R$ 3.000, suspensão e cassação de licença estadual para funcionamento de empresas. As informações foram publicadas por meio do Diário Oficial do Estado (DOE).

Segundo o decreto, serão punidas todas as manifestações discriminatórias contra pessoas lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e intersexuais (LGBTI+) em razão de orientação sexual e identidade de gênero. Entre esses atos, a norma exemplifica casos de proibição do ingresso ou permanência em qualquer estabelecimento público ou privado, além da livre manifestação de afetividade e a exposição do profissional à situação constrangedora por conta de sua orientação sexual/identidade de gênero.

No caso de incidência das violações contra o público LGBTI+, os casos serão apurados pela Secretaria de Estado das Mulheres, da Juventude, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos (SEMJIDH) mediante processo administrativo, seja iniciado por reclamação do ofendido, ato ou ofício de autoridade competente e comunicado de organizações não-governamentais de defesa da cidadania e direitos humano.

Já nos casos de multas, o decreto estabelece que elas serão aplicadas de acordo com a gravidade da infração, dos casos de reincidência e da condição econômica do infrator. Aliado a isso, os valores poderão ser elevados em até dez vezes quando for verificado que, em razão do porte do estabelecimento, não sejam significativas.

O decreto entrou em vigor a partir desta sexta-feira, considerando sua data de publicação.


Tribuna do Norte 


POSSE DE LEWANDOWSKI E REABERTURA DO JUDICIÁRIO EXPÕEM 'ALIANÇA', EXECUTIVO-STF

REDAÇÃO ITAJÁ TV

A abertura dos trabalhos do Judiciário em 2024 e a posse de Ricardo Lewandowski como ministro da Justiça explicitaram nesta quinta-feira, 1º, por meio de gestos simbólicos e declarações, a aliança entre Executivo e Supremo Tribunal Federal (STF) no terceiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva na Presidência. Ao fim do evento no STF, marcado por discursos em defesa da harmonia entre os Poderes, o petista e o presidente da Corte, Luís Roberto Barroso, expressaram a parceria dando início à retirada das grades que limitavam o acesso ao prédio principal do tribunal.

Lula tem apostado numa aliança nos bastidores com o Supremo para garantir governabilidade e reverter reveses no Congresso, principalmente em temas econômicos. A proximidade, garantida pela boa relação do petista com a maioria dos ministros da Corte ajuda a mobilizar a oposição no Legislativo, que tem mantido permanente conflito com o STF.

Pela manhã, oito integrantes da Corte participaram da posse de Lewandowski, que vai ocupar o lugar de Flávio Dino – indicado por Lula para uma vaga no Supremo. Somente os ministros Edson Fachin e André Mendonça, este último escolhido pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), não estiveram presentes. Como mostrou a Coluna do Estadão, a presença de Kassio Nunes Marques, outro indicado por Bolsonaro, foi vista com bons olhos pelo governo Lula, mas causou ruído na oposição.

No seu discurso, Lewandowski se comprometeu a colocar a segurança pública como uma de suas maiores preocupações. O novo ministro afirmou que a área, ao lado da saúde, é um problema histórico no Brasil e cresceu “muito em complexidade”, ao citar a expansão do crime organizado.

“O combate à criminalidade e à violência, para ter êxito, precisa ir além de uma permanente e enérgica repressão policial. Demanda a execução de políticas públicas que permitam superar esse verdadeiro apartheid social que continua segregando boa parte da população brasileira”, disse. Para lidar com o combate ao crime organizado, afirmou, é preciso “aprofundar as alianças com Estados e municípios”.

Lula afirmou em discurso que a presença da maioria dos ministros do Supremo foi uma “demonstração de afeto” a Lewandowski e a Dino. Além do presidente e de seu ex-ministro da Justiça, o vice Geraldo Alckmin e a primeira-dama Rosângela da Silva, a Janja, estiveram na abertura do ano judiciário, realizada no plenário reconstruído após o 8 de Janeiro.

‘Imunes’

O presidente do Senado e do Congresso, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), também participou da solenidade. Ao abrir os trabalhos do Judiciário, Barroso afirmou não ver crise institucional com o Legislativo. “Felizmente, eu não preciso gastar muito tempo nem energia falando de democracia, porque as instituições funcionam na mais plena normalidade, com convivência harmoniosa e pacífica de todos, nem preciso falar de separação de Poderes, porque, embora independentes e harmônicos, nós convivemos de maneira extremamente civilizada e respeitosa”, disse.

O ministro ainda se dirigiu, em tom de brincadeira, ao presidente do Senado: “Somos imunes a intrigas”.

O tribunal volta do recesso pressionado pelo Congresso. A relação, tensionada desde o ano passado, após decisões em série que desagradaram a deputados e senadores, voltou a estremecer após as operações da Polícia Federal, autorizadas pelo ministro Alexandre de Moraes, que levaram a buscas em gabinetes de deputados bolsonaristas na Câmara.

Pacheco também discursou e, em um recado velado, afirmou que nenhuma instituição tem o “monopólio” da defesa da democracia no Brasil. “A segurança democrática depende de trabalho harmonioso, coordenado e cooperativo entre os Poderes. Jamais se pode cogitar a interrupção do diálogo.”

Novo ministro nomeia 6 mulheres no 2º escalão, que possui 18 cargos

Novo titular do Ministério da Justiça, Ricardo Lewandowski afirmou ontem que os integrantes de sua equipe na pasta deverão ter em mente que são todos “servidores do povo brasileiro” e que a missão do órgão está descrita na Constituição. Lewandowski manteve seis secretários nomeados por Flávio Dino no segundo escalão do ministério, além de assessores especiais e diretores de entidades que também permaneceram nos cargos.

O novo ministro promoveu a advogada Sheila Carvalho do cargo de assessora especial para o posto de secretária de Acesso à Justiça, e remanejou Marivaldo Pereira dessa área para o cargo de adjunto da Secretaria Executiva, que ficará sob o comando de Manoel Carlos de Almeida. Outros nomes, como Mário Sarrubbo na Secretaria Nacional de Segurança Pública, já haviam sido anunciados por Lewandowski.

A despeito da campanha mobilizada pela primeira-dama Rosângela Silva, a Janja, para que a representação feminina aumentasse no Ministério da Justiça, Lewandowski nomeou apenas seis mulheres. O segundo escalão da pasta é composto por 18 cargos, entre secretários, assessores especiais, chefe de gabinete e diretores-gerais das polícias Federal e Rodoviária Federal.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Estadão Conteudo


ESTUDANTES ENTRAM NA JUSTIÇA POR CONTA DA FALHA DO SISU

REDAÇÃO ITAJÁ TV

Da comemoração eufórica, fotos nas redes sociais com amigos e familiares, a uma frustração sem precedentes. A sonhada vaga na universidade federal para graduação em um curso superior se tornou um trauma na vida de estudantes do Rio Grande do Norte, que chegaram a ver seus nomes como aprovados no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), mas acabaram sendo excluídos após correção do sistema. Este foi o caso de duas jovens potiguares, uma de Parnamirim e outra de Jardim do Seridó, situação que se repetiu em outros estados. Após o constrangimento, ambas vão recorrer à Justiça em busca das vagas.


A estudante de 18 anos, Jainy Azevedo de Araújo, de Jardim do Seridó, chegou a comemorar com família e amigos e até posts nas redes sociais a vaga no curso de Medicina, na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Na quarta-feira (31), 24h depois, a frustração: o resultado oficial divulgado mostrava que ela não estava selecionada para o curso. A família entrou com um mandado de segurança na Justiça Federal do RN com o intuito de garantir a vaga.


“Pedimos a aprovação na instituição, no caso, seguir o que havia sido divulgado em virtude da nota que ela teve. A jovem não pode ser responsabilizada pelos erros no sistema. Em virtude do constrangimento de ter reunido familiares e amigos para comemorar e em caso não o seja acolhido o pedido de matrícula devidamente na instituição, pedimos uma indenização por danos morais”, aponta o advogado Allyson Moisés Medeiros, que representa a estudante.


Ainda segundo o advogado, foi pedida uma indenização por danos morais no valor de R$ 30 mil para a estudante, quantia considerada pequena para o defensor da estudante. “Pedimos esse valor para mostrar ao juiz que a estudante está interessada na aprovação e não na indenização”, acrescenta.


Outro caso aconteceu em Natal, com a estudante Clara Letícia Pereira Leite, de 18 anos. Ela publicou post nas redes sociais mostrando que havia sido selecionada no curso de Direito na UFRN na chamada regular na terça-feira. O cenário foi o mesmo: ela chegou a ver a aprovação na terça, mas na quarta-feira o resultado foi diferente.


“Pretendo acionar a Justiça após esse episódio. Já fiz consultas com alguns advogados. A questão é a frustração. Quando vi o resultado novo me senti iludida, impotente, traída. A sensação foi muito ruim. Já tínhamos marcado churrasco, comemoração. Minha família adiou viagem para podermos celebrar. No fim das contas perdi minha vaga”, acrescenta.

As falhas repercutiram nacionalmente. O jornal O Globo também mostrou a situação de um estudante de Santa Catarina, de 18 anos. O jovem Ricchard Kassay disse que conseguiu acessar a página do Sisu às 9h de terça-feira e apareceu que havia sido aprovado no curso de Cinema da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). O Sisu corrigiu o resultado.


“Todo mundo sonha com esse momento e eu já estava me preparando para contar para a minha família, mas decidi verificar pelo celular para confirmar. Neste momento, minha nota não aparecia mais. Depois abri no notebook da minha mãe e seguiu sem aparecer minha nota”, explica Ricchard. “Na quarta, quando divulgaram os resultados, eu vi que na verdade não fui aprovado em nenhuma das opções de curso. Criaram uma expectativa sobre uma realidade que nunca existiu”, acrescenta.

problemas técnicos
Segundo o MEC, a divulgação dos resultados do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2024 foi adiada por problemas técnicos. A previsão era que a publicação ocorresse na tarde da terça-feira (30). Em nota, o MEC informou que “a Subsecretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação do MEC, área responsável pela operacionalização do Sistema de Seleção Unificada, identificou problemas técnicos no sistema e reiniciou os protocolos de homologação”.

Tribuna do Norte 

EQUIPE DA CAERN VAI AO IMÓVEL INVADIDO PELO MLB PARA DESFAZER LIGAÇÃO CLANDESTINA DE ÁGUA

REDAÇÃO ITAJÁ TV

Três equipes da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) foi mobilizada ao prédio invadido pelo Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB), na Av. Deodoro da Fonseca, na zona Leste de Natal. Durante fiscalização, na manhã desta sexta-feira (2), os trabalhadores identificaram uma ligação direta de água – sem hidrômetro. A equipe da companhia segue no local para desfazer a fraude.

A reportagem da TRIBUNA DO NORTE esteve no local e confirmou a informação com integrantes do MLB e os funcionários da Caern. Diante do anúncio do corte de água, os membros do movimento começaram a separar água em baldes para usar durante o dia. A restrição do uso de água só foi realizada após o abastecimento dos recipientes que pertencem aos ocupantes.

A Caern esclareceu que a equipe foi mobilizada ao imóvel invadido pelo MLB para realizar uma ação de rotina. Durante a fiscalização foi identificada a irregularidade. Os trabalhadores se deslocaram ao local em dois carros da companhia.

Tribuna do Norte